sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

4 Meses no Canadá

É gente; 4 meses já foram.

Quando vi o calendário hoje pensei, nossa 4 meses, só isso!!!!!

Antes de me mudar para o Canadá, li em algum lugar que nos primeiros meses a gente tem a sensação de morar há muito mais tempo aqui do que na verdade moramos, tamanho o número de novas informações e acontecimentos que vivemos em tão pouco tempo. E agora posso dizer que é mais pura realidade.

Se bem que no meu caso, alguns eventos forma mutiplicados por dois, como mudar de cidade duas vezes neste curto periodo de tempo. Além disso voltar a fazer faculdade... Uau!!!

Foram muitas mudanças, mas o saldo de tudo isto é que estou muito feliz e certa de que estou no caminho certo.

Não posso negar que sinto falta da minha familia e das pessoas que me são caras, mas ainda não deu para sentir saudade da vida que eu tinha no Brasil, que de certa forma era bem mais confortável e mais «tranquila» (ao menos na parte financeira) da vida que eu levo hoje; porém por outro lado, eu estou mais feliz, ee u diria que menos estressada também.

E isto é o que realmente importa hoje: ser feliz!!!!!!

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Primeiro «emprego» canadense

Finalmente, comecei a trabalhar no Canadá.

Depois de 2 entrevistas de empregos mal sucedidas e 3 bem sucedidas, mas que eu acabei não aceitando o emprego. Enfim, estou trabalhando.

Muitos vão classificar como um sub-emprego, como eu ainda não tenho formação na área, estou no começo dela, eu classificaria o emprego como uma acquisição de expereinceia na área e claro como um emprego de sobrevivencia que no meu caso é mais uma ajuda do que um salário que de para passar o mês.

Vcs devem estar se perguntando que raios de emprego é este...

É um emprego de préposée aux bénéficiare em uma instituição de pessoas idosas (tipo um asilo de luxo). Eu trabalho um fim de semana a cada 15 dias, o que é ideal, pois não interfere muito com meus estudos.

O salário é de 10,00$/h, sei que em um hospital eu poderia ganhar mais até 15,00$/h, mas como não tenho o curso de PDSB, um tipo de pré requisito para este tipo de trabalho e nem estou afim de fazer, já que a partir do próximo semestre posso ser aceita nos hospitais só com duas «sessions» na universidade. Achei melhor começar com este para já ir adquirindo algumas experiencia na área.

O trabalho é puxado, mas eu estou gostando bastante; o ambiente de trabalho é excelente. Os pacientes são super gentis, pratico o francês pra caramba, se bem que eu posso me passar sem; pois a faculdade já me supre mais do que suficiente neste nivel, rsrsrsrs.

Ao menos até o verão, eu já estou garantida.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Inverno

Quando a gente pensa que ele está indo embora, começa tudo de novo. Temos uma tempestade de neve prevista para esta noite.

Nos últimos dias temos tendo dias excelente com temperaturas agradabílissimas, entre -5ºC e 2ºC; sei que muita gente deve estar me achando que pirei ao dizer isto!!!!

Mas a verdade é uma só, após dias de -40ºC; a gente sente que na temperatura atual está até quente, rsrsrsrs.

Nos últimos dias a neve vem virando gelo e tenho que ser sincera, que eu prefiro a neve; pois nesta época tudo fica mais «feio», comparado há um mês atrás, sem contar que na rua tem que se tomar um cuidado extremo para não passar um motorista mais apressadinho e não te virar uma avalanche de água suja gelada; afinal com o aumento da temperatura começa o degelo.

Mas, por outro lado em dias de sol como vem fazendo e em temperaturas menos extremas, é super agradável de caminhar. Tanto que nos últimos dias tenho preferido ir de uma lado para outro na faculdade pelo exterior do que pelo túnel.

Não é surpresa para meus leitores que eu A-D-O-R-O o inverno!!!!!!!! E que nem faz muito tempo eu fiquei maravilhada ao descobrir que a neve tem exatamente este simbolo ai da foto:

Mas, quando estam todos falando da neve e do inverno eu não posso deixar de comentar o que eu tenho observado nos imigrantes brasileiros.

Quem nunca tinha passado todo um inverno no Canadá anteriormente acha muito dificil. O que eu quero dizer com isto?

Pode parecer óbvio para quem está imigrando para o Canadá que aqui temos 6 meses de inverno e em torno de 5 meses de neve por ano (dependendo da região mais ou menos). Mas, depois de um primeiro mês de pura magia ou para alguns menos que isto a neve se torna uma reclamação sem fim: «o inverno é chato....»; «ninguém faz nada no inverno...»; «não vejo a hora que isto acaba...»; «estou ficando doente de não ver sol...»; « e eu que reclamava do inverno no Brasil....»

Deu para sentir o drama?????

Eu concordo que no inverno todo mundo hiberna um pouco por aqui, as atividades ao ar livre para quem não curte esportes de inverno é praticamente inexistente. As pessoas saem menos a noite para baladas comparado nos meses mais quentes. E todo mundo fica branco que nem um fantasma, rsrsrs. Enfin, o ritmo é outro.

Então para quem vem morar aqui eu vou dar alguns conselhos:

  • pense bem se vc é capaz de viver invernos rigorosos assim por anos sem fim?
  • esporte ou atividade de inverno é essencial!!! Sei que muitos vão contradizer dizendo que é caro!!! Concordo que esquiar durante todo o inverno pode custar uma verdadeira fortuna; ainda mais para nós que chegamos com o budget apertado. Mas, patinar não fica caro, é rápido de aprender, nesta época do ano tem-se várias ofertas e a maioria das pista cobra 3,00$. Razoável, não!?!?
  • compre boas roupas de inverno. Venha preparado do Brasil para gastar em média 1000,00$ em roupa de inverno. Aconselho a quem tiver alguém na familia que faça trico, pedir para fazer alguns cachecois e gorros de lã (leram bem? , nada de acrilico). Mas o resto tem que ser comprado aqui, e ai vai uma lista básica do que se precisa ao menos para se passar um primeiro inverno: um casaco longo, um conjunto de roupa de esqui, bota, luva (tudo isto que aguente em torno de -30ºC; vem especificado na etiqueta), uma luva para temperaturas mais leves como a atual e as famosas ciroulas, rsrsrsrs. Sei que vai ter quem vai argumentar que estas roupas e bota que aguentam -30ºC são caras e tem roupas de inverno mais em conta. Concordo, mas a não ser que vc imigre para Montréal e trabalhe e more na «cidade subterranea» e não sai ao ar livre durante todo o inverno; se não acho melhor seguir meu conselho que vai te custar bem mais barato do que ficar doente ou achar o inverno horrivel porque vc está passando frio.
  • Estoque de frutas e legumes no verão. Aconselho a comprar um freezer e congelar este tipo de coisas, pois no inverno este tipo de artigo custa o doblo e as vezes a té o triplo do preço.

Enfim, aprender a viver no inverno é a maior fase de adaptação no Canadá e se vc conseguir tirar isto de letra como eu podes crer que o resto fica muito mais fácil!!!!

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Carnaval de Québec

Hoje eu vou falar um pouco de um evento muito esperado pelos québécois: o Carnaval. Claro que não se compara com o nosso, mas nem por isso é menos interessante.

Eu gostei muito. Durante 15 dias, nós tivemos uma série de eventos no Vieux Québec: como esculturas e gelo...
... e atividades ao ar livre, principalmente para criançada.

Durante a noite, tem-se vários tipos de eventos, mas o mais esperado por todos aqui é a famosa: parade ou desfile para nós:



video

Eu gostei muito do desfile e curti muito com meus amigos daqui, ainda mais que hoje a noite não estava tão frio: -5ºC.

Alguns amigos brasileiros meus nem quiserem saber de ir, acharam os eventos diurnos muito sem graça.

Minha opinião pessoal é que vale a pena, eu gostei muito; é um evento barato, seguro e aberto a todos. Se a gente tivesse vindo ao Québec só para passear com certeza tirariamos diversas fotos e mostrariamos a todos amigos elogiando. Eu recomendo.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Pipoca

Vcs devem estar pensando: «Que é isto Chris?»

Pois bem. Há dias eu vinha com uma vontade louca de comer PIPOCA


Nã aquelas pipocas de microndas, mas aquelas de panela. Eu cheguei até ver para comprar no mercado, mas tinha achado um absurdo de caro: 3,00$, por uma pacotinho minusculo.

Sei que vai ter quem vai pensar: «Só isto? Uma micharia»; mas quando vc não tem fonte de renda e só despesas, vc aprende economizar cada centavo.

Mas, então hoje finalmente no comptoir alimantaire eles estavam dando milho de pipoca; vcs podem imaginar minha alegria.

Não deu outra no jantar: pipoca de panela com uma cervejinha bem gelada; já que aqui não tem Guaraná, rsrsrsrs!!!!!!

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Como ingressar na Faculdade no Québec

Oi, gente!

Como muitas pessoas me pergunntaram sobre o assunto, e estamos na época de inscrição, resolvi passar este tópico à frente dos outros que eu previa escrever para poder ajudar a quem quer seguir este dificil caminho por aqui.

Digo difcil, não pq seja difcil entrar, o dificil é o pique que temos que ter para acompanhar as aulas aqui, rsrsrs.

O que eu vou escrever é relacionado ao Québec, pois em Ontario o sistema é outro e assim nas outras provincias do Canadá.

De forma geral, mesmo nas faculdades, de Québec tem algumas diferenças entre uma e outra e aconselho a quem quer seguir este caminho aqui começar entrando no site da faculdade que interessa. Todas elas tem uma página de informação dita «Futur étudiant», onde vc encontra tudo o que precisa saber sobre se inscrever na faculdade: documentos, exigencia do francês, data de inscriçao, etc.

Documentos: de uma forma geral quase todas elas pedem a mesma coisa, que são: certidão de nascimento, histórico escolar desde o colegial, diplomas, CSQ, PRcard. Os documentos que não estão em francês tem que ser traduzido, o bom que eles não exigem que seja um tradutor agrée a ordem de tradutores do Québec pode ser qq tradutor juramentado; porém eles pedem original de todos os documentos acima ou cópia que tem que ser certificada por um commissaire à l'assermentation e eles não aceitam as feitas em banco. Quem ainda esta no Brasil e quer ir adiantando as coisas, eu sugiro de pedir uma segunda cópia dos históricos na faculdade, os diplomas ficam mais complicados então o que se pode fazer é pedir para a própria faculdade autenticar a cópia dizendo que é uma cópia do original (não adianta de nada fazer em cartório no Brasil, mas vale um carimbo da faculdade na cópia que um carimbo de cartório que para eles aqui não quer dizer nada).

Ainda para quem esta no Brasil e não tem o PRcard o que fazer? Se inscreva como aluno estrangeiro e uma vez aqui de posse do PRcard, vc consegue entrar na cota de residente de Québec. Como eu fiz minha inscrição aqui, não tive que passar por isto, mas segundo uma pessoa que eu conheci pessoalmente (então não é história de outra pessoa). Ela se inscreveu como aluna estrangeira e quando chegou aqui em julho foi conversar na faculdade e de posse dos documentos que provava sua entrada no país, ela fico inscrita como residente daqui (a diferença é o valor que vc vai pagar do curso).

Exigencia do francês: algumas faculdades como a U. Laval e a U. Montréal exigem o teste TFI, que infelizmente não pode ser feito no Brasil, pois a Aliança Francesa ainda não tem este teste. Agora para saber qual o score que é exigido para o curso que pretende fazer, aconselho a entrar no site da faculdade procurar no curso qual a exigencia do francês. No meu caso era exigido 785 pontos para ser aceita.
Ainda sobre o fracês, se vc não é fluente desaconselho totalmente chegar aqui e já ir direto a faculdade; pois o professor quando dá aula não vai falar mais devagar para vc entender. Digo isto pq algumas facudades não fazem alguma exigencia de teste de francês para entrar; mas uma vez aqui se vc não consegue entender o professor ou se expressar, a coisa fica bem feia....

Data limite: a maioria dos cursos a data limite é 1º de março, mas como aluno estrangeiro sei que as datas são um pouco antes e ainda alguns cursos como medicina e odontologia tem datas diferenciadas.

Enfim, é isto. Também aconselho a entrar no site do curso da faculdade que se quer fazer e quase todas elas tem uma pessoa resposável pela admissão ou um cordenador de curso, então escreva e-mails para esta pessoa pedindo maiores informações; se não te responderem da primeira vez, eu aconselho a insistir. Pois vai demonstrar seu interesse em seguir o curso além de te dar maiores informações sobre as exigências e as possibilidades de admissão.

Aos que vão seguir este caminho por aqui, boa sorte!!!!

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Olha, eu aqui de novo!!!!

Oi, gente!!!
Não tem desculpa, sei que o blog ficou super abandonado nos ûltimos dias, mas logo vcs irão entender o pq...
Eu sinto que eu perdi completamente o controle de tudo, e pela primeira vez na vida, eu parei de estressar com o que eu não dou conta de fazer.

Vcs se lembram da minha lista de 101 coisas a fazer em 1001 dias... Manter o blog era uma delas, na verdade eu pretendo mantê-lo, mas pode ser que tenha épocas que eu de uma sumida como agora.

Faz 15 dias que ando matutando sobre o que escrever; pensei primeiro em fazer um resumo dos meus três meses aqui; depois pensei em dar minha opinião sobre as dificuldades de imigrar, mas depois pensando bem: quem sou eu para opinar, e falar de problemas que na verdade eu nem vivo.

Luis ou Ana, vcs me perguntaram onde eu estou: Val-d'Or ou ville de Québec? Hoje eu moro em ville de Québec já que fui aceita na Université Laval e estou fazendo um novo Bac; mas metade das minhas coisas ainda estão em Val-d'Or; e é também para onde pretendo voltar passar o verão assim que o trimestre acabar.

Vir de Val-d'Or para Québec foi uma grande virada, e não digo só em relação ao tamanho da cidade. Em Val-d'Or eu vivia praticamente rodeada de québecois; em Québec eu vivo rodeada de imigrantes e com isto passei a entender mais o que cada um passa e como cada um sente este processo de imigrar.

E eu vejo que pelo pouco tempo que estou aqui, muito foi conquistado, apesar das perdas. Quando digo perda é principalmente de pensar que todo o estudo que fiz no Brasil (afinal, eu tenho um doutorado) de nada vai ser aproveitado aqui para um possivel emprego. Eu sei que estou devendo um post sobre a ODONTOLOGIA e não ando me sentido muito a vontade em falar do assunto, mas aos futuros dentistas imigrantes que querem informação, eu ainda pretendo em um curto espaço de tempo falar mais sobre as informações que obtive da área aqui.

Agora as conquistas:
Eu me sinto super integrada, segundo a Lu minha coloc de republica, brasileira também claro: eu até faço comida como os québecois.
A verdade é que me sinto super integrada, a comida não é um problema adoro tudo que como aqui. E vivo misturando coisas que apredia aqui, com coisas que comia no Brasil. A unica coisa penível neste quesito é a conta do mercado (ainda mais quando o dinheiro esta saindo e não entrando). Hoje, mesmo na faculdade aderi ao «comptoir alimantaire» (é como uma cesta básica, vc pode escolher alguns artigos); a verdade é que eu devo ter economizado uns 15,00$ hoje; pode parecer pouco, mas para mim hoje faz uma grande diferença.

O francês, falo com todo mundo; e outro dia pedindo informação na rua acabei batendo um papo de uns 20 minutos com a pessoa que pedi informação, enquanto nós esperavamos o ônibus. Todo mundo diz isto, mas falar francês é fundamental. O sotaque é de menos, ninguém aqui na verdade liga se vc tem sotaque ou não; até canadense tem sotaque aqui, basta vir de outra provincia.
Agora fazer faculdade em francês é outros 500... Entrar na faculdade foi super fácil, o dificil vai ser sair dela, rsrsrsrs. Eu entendo super bem as aulas, leitura; mas escrever em um estilo mais formal (que a faculdade exige), é outros 500... Tem horas que sinto como se eu escrevesse como se eu estivesse no primário, devido ao meu pobre vocabulário. Isto sem contar quando os textos são em inglês (também sem problemas para ler), o dificil é fazer o resumo em francês depois, já que eu conheço os termos técnicos em inglês e português, mas não em francês. Acho que deu para sentir o drama e entender pq eu andei meio sumida do blog.
Exato, eu levo o dobro de tempo para estudar que meus colegas de turma.

Amigos, eu tenho de muitas nacionalidades agora: brasileiros, canadenses, africanos, peruanos, etc. Não entendo pq brasiliero reclama tanto de conhecer brasileiro. Eu acho ótimo, a semana passada mesmo, eu tinha meio que cismado que uma pessoa que eu via na facul era brasileira, perguntei na maior cara de pau; e não era que ela era brasileira.
Achei bárbaro conhecê-la; ela está no segundo ano do curso de enfermagem e me deu várias dicas. Espero que a gente realmente desenvolva uma bela amizade.

No meu curso minha melhor amiga, com quem eu mais converso é uma imigrante também, ela é peruana. Posso dizer que somos amigas apesar do pouco tempo de conviencia; isto não quer dizer que os canadenses nos excluem, só que dizer que temos mais afinidades. E me sinto feliz de poder além dela contar com mais 3 amigas de curso com quem já fiz trabalhos de grupo.
Digo isto, pq hoje estávamos fazendo um trabalho de avaliação que era em dupla; e uma colega de turma que é canadense veio perguntar se eu e minha amiga peruana poderiamos ajudá-la; nós dissemos que ok, mas que como era um trabalho em dupla assim que terminássemos uma de nós fariamos com ela; perguntei pq ela não tinha combinado de fazer com uma amiga e fiquei pasma quando ela simplesmente respondeu que ela não tinha nenhuma amiga na turma.
Eu aqui, uma imigrante recém chegada; posso considerar que tenho amigos, inclusive para fazer trabalhos na facul.
Isto é D+++++++++++++++++++++++++++++++++++

Inverno, não sei pq todo mundo reclama tanto do inverno. Tudo bem que depois de um mês fica tudo muito comum branco toda hora; mas e dai? Eu adoro!!!! É frio é.... e como, a semana retrasada foi a mais fria do ano depois de não sei quantos anos. O bom, é que agora quando faz -5ºC, a gente acha que está quente. Quando eu disse isto para minha mãe esta semana ela achou que eu já estivesse com um pino a menos, mas a verdade é esta: -5ºC, é uma delicia agora!!!!
Eu apesar de na minha vida já ter vivido 3 invernos com neve, sendo este o primeiro como imigrante, ainda aprendo coisas novas. Vcs acreditam que eu nunca tinha reparado que a neve realmente tem a forma do simbolo de neve; a uns dias atrás fica maravilhada quando ao chegar no ponto de ônibus e ver minha roupa cheia de pequensa «estrelinhas»; ninguém no ponto entendeu muito bem o que se pasava comigo, tamanho era eu dislumbre, rsrsrsrs.

Uau!!! Eu demoro para escrever, mas quando começo não paro mais; ainda tinha muita coisa para dizer neste post, mas vou parando por aqui, pois é quase 1h da manhã e acordo amanhã as 7hs. Mas, pretendo ainda terminar de contar pq me sinto uma pessoa feliz como imigrante, apesar de todas as dificuldades inerentes, rsrsrsrs.

Bjos e até breve.